Meetings
2011-2015

Há uma ética da alegria e do encontro. Para o filósofo Baruch Espinosa essa ética implica em uma experimentação, na prática do viver, que elabora uma complexa relação de ritmos com os quais conjugamos com os outros.

A vida tem base sólida nos afetos, na resistência à tristeza, na potência do estar em conjunto. A ética da alegria e do encontro seria dessa forma a própria base humana.

É nessa direção que abordo os trabalhos da série Mettings.